Saúde Mental: Emocional E Espiritual Juntos

Saúde Mental: Emocional E Espiritual Juntos

Karl Menninger, falecido em 1990, foi psiquiatra autor de livros, fundador da Clínica Menninger e da Fundação Menninger, nos Estados Unidos, se formou em Medicina e depois lecionou na Harvard University. Sua clínica se tornou na época um dos maiores centros de treinamento em saúde mental do mundo.

Dentre seus livros estão “A Mente Humana”, “O Pecado de Nossa Época”, “Amor Contra o Ódio”, “Eros e Tânatos – o Homem Contra Si Próprio”. Ele foi um dos cientistas que em seus estudos verificou que não podemos separar corpo de alma, sofrimento emocional de sofrimento espiritual. Ele estava certo.

Quando, por exemplo, uma pessoa apresenta uma postura orgulhosa, prepotente, arrogante, este comportamento tem raízes em causas psicológicas mas também na dimensão espiritual. Vou tentar explicar melhor.

Segundo o Cristianismo bíblico, todos os seres humanos estão contaminados no caráter. O erudito cidadão romano e israelita que se tornou cristão, Paulo de Tarso, escreveu: “Como está escrito: Não há um justo, nem um sequer. Não há ninguém que entenda; não há ninguém que busque a Deus [antes de ser por Ele atraído a Ele mesmo]. Todos se extraviaram, e juntamente se fizeram inúteis. Não há quem faça o bem, não há nem um só.” Carta de Paulo aos Romanos, capítulo 3, versículos 10 ao 12.

Autores, cientistas, pesquisadores psicólogos, psicanalistas e psiquiatras, Rollo May (ex-presidente da Associação Americana de Psicologia), Paul Tournier (Universidade de Genebra, Suiça), Harold Koenig (Universidade Duke, EUA), Carl Jung (Universidade da Basileia, Suiça), Dan Blazer (Universidade Duke, EUA), John R. Peteet (Universidade Havard), Francisco Lotufo Neto (USP), Uriel Heckert (Universidade Federal de Juiz de Fora), Cláudia Bruscagin (PUC-SP), etc., assim como eu também, estudaram e estudam esta relação corpo-mente-espiritualidade. Eles reconhecem em seus escritos e pesquisas que há no ser humano uma dimensão espiritual que requer aprimoramento e mudança para que a saúde mental se desenvolva, além das abordagens ou aplicações dos procedimentos da Psicologia e Psiquiatria convencionais.

No exemplo acima de uma pessoa que apresenta predominantemente comportamento orgulhoso, arrogante, pode ser que do ponto de vista psicológico ela tente compensar sentimentos profundos e talvez inconscientes (ou não) de inferioridade através da postura prepotente. Ou pode ser que se sinta mesmo poderosa e não admite suas fraquezas e limitações. Ou seja, ela pode viver com a fachada de forte ao mesmo tempo negando o lado frágil que todos possuímos. É bom lembrar que não somos deuses.

Mas a história psicológica, ou a dinâmica emocional (como os pensamentos, sentimentos, crenças, visão da vida, visão de si mesmo funcionam na mente) de um indivíduo assim, com comportamentos orgulhosos tem raízes na espiritualidade. Certa vez Jesus Cristo disse que o que contamina o ser humano é o que sai de dentro dele. E Ele deu exemplos de comportamentos disfuncionais e pecaminosos que existem em potencial dentro de todos nós, ampliando Sua fala: “Porque do coração procedem os maus pensamentos, mortes, adultérios, fornicação, furtos, falsos testemunhos e blasfêmias. São estas coisas que contaminam o homem…” Mateus capítulo 15 e versos ou versículos 19 e 20. Quando Ele fala de “coração” está Se referindo à parte mais profunda da mente, a raiz básica de nosso comportamento.

Evidentemente que não é só o orgulho numa pessoa prepotente que evidencia a contaminação espiritual misturada com disfunção (sofrimento) psicológica. Há uma infinidade de atitudes humanas que se enquadram nesta depravação infeliz, como a corrupção, mentira, impiedade, maldade, egoísmo, exploração dos mais fracos, manipulação das pessoas, violência, desvios sexuais, ganância, vaidade, etc.

Então, se você busca amadurecimento emocional, se quer entrar (ou seguir) no processo de cura mental, é necessário considerar a dimensão espiritual da sua pessoa, entender que nem tudo é físico, nem tudo é psicológico, e que há sofrimento espiritual devido a esta contaminação do caráter que é algo universal, e que, portanto, requer a prática instrumentos espirituais para encontrar solução para a dor mais profunda que psicólogos, psiquiatras, psicanalistas e a medicação não resolvem.

Dr. Cesar Vasconcellos de Souza é médico psiquiatra e psicoterapeuta, especialista em Psiquiatria pela Associação Brasileira de Psiquiatria e Associação Médica Brasileira, membro da American Psychosomatic Society, consultor psiquiatra da revista Vida & Saúde e participante frequente de programas na TV e Rádio Novo Tempo.

Veja mais artigos em: http://doutorcesar.com.br/